Manacá da Serra, planta que dá flores de 3 cores diferentes.

Manacá da serra com flores rosas e brancas em um mesmo galho.

O Manacá da Serra Anão, é uma das espécies de plantas ornamentais mais vendidas do Brasil, ele encanta pelo seu formato, aroma é claro suas flores que mudam de cor.

Seu tamanho é perfeito para compor decorações de calçadas e jardins, e pode ser cultivado em vaso.

Mas aquilo que poucas pessoas se atentam é que, existem quatro espécies de Manacá, cada uma com suas particularidades distintas.

Nesse artigo você vai conhecer cada uma delas, e aprender a escolher a ideal para o seu paisagismo.

Tipos de Manacá da Serra e suas características

Manacá da Serra, flores da espécie de manacá gigante.

Manacá Gigante | Nome cientifico Brunfelsia Pauciflora

Apesar do “gigante” é uma espécie que não cresce muito, atingindo no máximo 3 metros de altura.

Natural das regiões mais elevadas do Sul e do Sudeste brasileiro, o Manacá Gigante se adapta a áreas de sol pleno ou levemente sombreadas.

Seu florescimento ocorre no período do início da primavera ao término do verão.

O Manacá gigante é muito parecido com o Manacá de cheiro, visualmente a única coisa que os distingue é a folhagem, tendo o Manacá Gigante folhas mais rijas, de um tom de verde mais intenso e brilhante.

O cultivo do Manacá Gigante em vaso não interfere no seu desenvolvimento, desde que o recipiente seja amplo e bem drenado.

Manacá de cheiro | Brunfelsia Uniflora

Manacá de cheiro, ou manacá de jardim, uma das espécies mais cultivadas de Manacá da Serra.
Também chamado de Manacá de jardim, o Manacá de Cheiro divide similaridades com o Manacá Gigante.

Ambos são naturais do Sul e Sudeste do Brasil e ocorrem em locais com altitude elevada, florescem entre o início da primavera e o fim do verão.

Apresentam variações de coloração em suas flores, que nascem de cor violeta azulado, ficam em tons de lilás e terminam brancas.

O espetáculo fica completo pelo fato de um único galho ao mesmo tempo, estar apinhando de flores com todos os estágios de cores.

São plantas arbustivas de médio porte, que no máximo chegam a atingir 3 metros de altura.

O Manacá de cheiro é o mais aromático, com um perfume agradavelmente doce e suave.

Pode ser cultivado em vaso, em áreas de sol pleno ou meia sombra.

Manacá da serra | Tibouchina Mutabilis

Manacá da Serra em época de florada, essa espécie pode atingir até 12 metros de altura.
Entre os tipos de Manacá esse é o que tem o maior porte, atingindo entre 7 e 12 metros de altura.

O Manacá da serra é também conhecido como Jacatirão, essa espécie apesar de poder ser cultivada em vaso, tem melhor desenvolvimento quando cultivado no solo.

Sua florada se dá também no período que abrange a primavera e o verão, mas sua coloração diverge das outras espécies homônimas listadas acima.

As flores do Manacá da serra nascem brancas, se tornam róseas e por fim terminam seu ciclo de vida com uma coloração rosa escura bem acentuada.

Os Manacás, Anão, Gigante e de cheiro são arbustos já o Manacá da Serra é uma árvore, por isso tanta diferença em relação ao porte.

Sua cor intensa e beleza incontestável fez dele uma planta ornamental de grande procura. Apesar de ser natural do território entre Santa Catarina e o Rio de Janeiro, conquistou seu espaço entre quintais, jardins e calçadas de todo o Brasil.

Manacá da Serra Anão | Pleroma Mutabile ‘Nana’

A quarta da nossa lista é a espécie mais procurada de Manacá, e já vou te contar o motivo.

O Manacá da Serra Anão é natural da Mata Atlântica, e encontrado principalmente na região da Serra do Mar nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná e Santa Catarina.

É uma planta arbustiva que atinge entre 2 e 3 metros de altura, suas flores nascem brancas ficam rosadas e já no fim do ciclo atingem uma coloração roxa.

Pode ser cultivado em vasos ou em espaços que não sejam tão amplos, é de cuidados fáceis e demanda apenas podas esporádicas de limpeza.

Mas o que ele tem de tão especial para ser o queridinho do paisagismo?

O Manacá da Serra Anão floresce no inverno, diferente de todos os outros citados anteriormente.

Esse é o seu maior charme visto que, enquanto a maioria das plantas perde a coloração e o viço no período entre o outono e o inverno, ele encanta com suas cores enérgicas e deslumbrantes.

Não há quem deixe de virar a cabeça para olhar um jardim repleto de flores multicores, em plena temporada das plantas apáticas.

Agora que você já conhece os quatro Manacás, escolha o mais adequado para embelezar o seu espaço.

Tenho certeza que independente da espécie que escolha ele vai ficar lindo com as dicas que virão a seguir e se aplicam a todos os tipos.

Como descobrir se o Manacá da serra é do tipo anão?

O Manacá da Serra Anão é o único que floresce no inverno.
Vamos começar com essa dica, para que você tenha certeza de que está plantando a espécie correta.

A forma mais simples e acertada é comprar a sua mudinha de Manacá durante o inverno.

O Manacá da Serra Anão é o único que floresce no inverno, ou seja, se estiver com flores você pode levar sem medo de errar.

Não precisar ser uma planta com um porte avantajado, visto que essa espécie já começa a florir assim que atinge em média 50cm de altura.

Local ideal para cultivar Manacá

Flores do Manacá da serra em detalhes.
Os Manacás são plantas que se desenvolvem tanto sob o sol direto, quanto em ambientes um pouco mais sombreados sem problema algum, desde que o ambiente seja ricamente iluminado por luz natural. E isso vale para os quatro tipos.

Os Manacás são tão dependentes de luz, que a ausência deles em florestas onde já houve muita degradação da flora, é um sinal de recuperação do habitat. Pois onde a copa das árvores maiores vai se fechando ele não é capaz de se desenvolver.

Se for cultiva-lo em ambientes internos, prefira sempre os espaços com janelas que recebam várias horas de luz solar diária.

Tipo de solo para cultivo do Manacá

O Manacá da Serra é um planta tradicional em lares do Brasil, muito por seu fácil cultivo e beleza extrema.
Prepare no local que irá cultivar seu Manacá um bom sistema de drenagem, já que apesar de ser fã de solos úmidos esse tipo de planta não se agrada de solos que retenham água em excesso.

O solo ideal deve ser soltinho, levemente ácido e bem adubado, preferencialmente com matéria orgânica.

Pode ser usada uma mistura em partes iguais de terra vegetal, areia e terra comum.

Para cultivo em vaso não esqueça de fazer furos no fundo, e montar uma camada de drenagem antes da colocação do substrato.

O solo deve ser mantido sempre úmido, e para garantir que a água não evapore rápido demais, utilize cobertura de solo ao redor da sua planta.

A cobertura pode ser feita com casca de pinus, argila expandida, entre outros materias, e deve ter o diâmetro aproximado ao da copa.

Como adubar o Manacá

A adubação deve ser trimestral e à base de compostos orgânicos. Podem ser utilizados húmus de minhoca e esterco bovino ou de aves curtido.

Quando estiver próximo ao período de floração da espécie que você escolheu, diminua o espaçamento entre as adubações.

Adubos industrias que favorecem a florada podem ser aplicados nesse período, seguindo a recomendação de cada fabricante.

Quando é como podar o Manacá da Serra?

Todas as espécies de Manacá da Serra são capazes de produzir flores de três cores diferentes ao mesmo tempo.
A melhor época para poda é após a floração e no período de lua minguante.

As podas do Manacá devem ser feitas priorizando a retirada dos galhos que já floresceram, pois ele não voltará a florescer nesses locais.

Assim que a florada termine execute a poda com instrumentos apropriados e bem higienizados, dessa forma você evitará danos desnecessários a sua planta e vai prevenir o surgimento de doenças.

A remoção de folhas e galhos secos pode ser feita independente da florada, mas apenas minimamente para manter o Manacá limpo e com boa circulação de ar e luz solar.

Um fato curioso sobre os Manacás, são as borboletinhas da espécie Methona Themisto, também conhecidas como Borboletas-do-Manacá.

Borboleta Vitral ou Borboleta-do-Manacá.

Essa espécie da Mata Atlântica brasileira, se adapta bem em ambientes urbanos onde haja manacás, já que usa essas plantas como berçários para suas pequenas lagartinhas.

No Rio Grande do Sul essas borboletas costumam ser chamadas de Vitral, devido a forma translúcida que possuem nas asas.

Não costumam causar danos as plantas e são um bônus para os plantantes.

Porém manter a planta com a poda em dia é uma forma amigável de conviver pacificamente com as hóspedes.

Evite pontos excessivamente fechados no seu Manacá, dessa forma a população de lagartinhas famintas fica sob controle e todos passam bem, rsrsrsrs!

Os Manacás são plantas incríveis que representam muito bem a beleza e diversidade da flora brasileira, e enchem de romance qualquer paisagismo.

Suas raízes não são agressivas o que permite seu cultivo em áreas próximas de calçamentos e estruturas de alvenaria.

Para cultivar sob fiação elétrica prefira entre o Manacá da Serra Anão, Manacá Gigante ou Manacá de Cheiro, dessa forma você evitará excesso de poda.

Espero que esse artigo ajude a encher o seu jardim com muitas flores coloridas, boa jardinagem!

O que você achou deste artigo?

Postagem Anterior Próxima Postagem